Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados

Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados

Amanhã, 28/06, será realizada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, uma audiência pública para debater o proj...

Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados
Amanhã, 28/06, será realizada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, uma audiência pública para debater o projeto apelidado pela mídia de “cura gay”, com a presença da psicóloga Marisa Lobo, os deputados Marco Feliciano, Roberto de Lucena e João Campos.

O texto do projeto prevê a permissão legal para que psicólogos atendam a pacientes homossexuais que procurarem ajuda com os profissionais da área para reverter sua condição homossexual.
O projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO) prevê a criação de um decreto legislativo que suspenda dois artigos da resolução do Conselho Federal de Psicologia, que define as atividades dos profissionais em psicologia, e proíbe que estes emitam opiniões públicas sobre o assunto, ou abordem a homossexualidade como transtorno.
Para Campos, que é presidente da bancada evangélica, o CFP “extrapolou seu poder regulamentar”, e errou ao “restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional”.
O presidente do CFP, Humberto Verona, questiona a legalidade do projeto e tem dúvidas se o decreto, caso aprovado, poderá interferir na autonomia do órgão. Verona afirma que o código de ética foi criado para combater “uma intolerância histórica” contra os homossexuais.
Segundo informações do gabinete do deputado Roberto de Lucena, que é relator do projeto, Verona afirmou que não comparecerá à audiência pública a pedido da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (ABGLT).
O presidente da ABGLT, Toni Reis, enviou carta pública a Humberto Verona, manifestando sua contrariedade com o projeto e solidarizando-se com o Conselho Federal de Psicologia, em sua postura contrária ao projeto.
Em trecho da carta, Reis afirma que a audiência pública a ser realizada amanhã “é uma afronta à ciência, à dignidade humana, aos direitos humanos, à laicidade do Estado e à autonomia do Conselho Federal de Psicologia no que diz respeito às suas deliberações quanto à conduta e à ética profissional, além da composição da maioria dos/das convidados/as da Audiência indicar viés pela predominância do discurso da intolerância religiosa em detrimento dos ideais da democracia igualitária”.
A psicóloga Marisa Lobo afirmou que “o projeto do deputado João Campos tem como objetivo sustar dois artigos (02 e 03) da resolução 01/999, que regulamenta atuação do psicólogo frente a homossexualidade, e  não permite e intimida quem busca tratamento para mudar sua condição, sugerindo claramente que se há sofrimento psíquico, deve se  a não aceitação social e que, se um homossexual busca ajuda para mudar a condição é por pressão da família ou por causa da religião”
Lobo ressalta que “a psicologia afirma que o homossexualismo não é doença, logo não há como mudar, e ninguém questiona por medo da mídia, que incentiva a divulgação do termo homofobia. Ou seja, quem ousar descordar é acusado de ser homofóbico, contrariando a constituição e a declaração de direitos humanos”.
Confira abaixo, parte do discurso que a psicóloga cristã Marisa Lobo preparou para a audiência pública, e antecipou ao Gospel+:
Se a homossexualidade é ou não uma doença, não existe nenhum consenso sobre este tema na comunidade científica internacional.
Em 1973, baseados em dados empíricos, juntamente com considerações sobre mudanças de normas sociais e também em consequência do desenvolvimento de uma comunidade politicamente ativista gay nos Estados Unidos da América (o National Gay Task Force – Força Tarefa Gay Nacional), o Conselho de Administração da Associação Psiquiátrica Americana decidiu retirar a homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM). Alguns psiquiatras que se opuseram a esta ação posteriormente enviaram uma petição solicitando uma votação sobre a questão por membros da Associação. Essa votação foi realizada em 1974, e a decisão do Conselho de Administração foi ratificada. E, como já dito acima, em 1990 uma resolução também removeu a homossexualidade como transtorno mental da Classificação Internacional de Doenças (CID).
As provas são incontestáveis a remoção da homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (o que se estendeu à CID), se deu por votação, evidenciando assim uma atitude completamente desprovida de substrato fundamental científico. Logo, afirmar que a homossexualidade não é uma doença simplesmente porque um grupo de indivíduos votou a favor de sua remoção do DSM não se constitui em uma afirmação científica. Não se submete a votações aquilo o que já está cientificamente demonstrado, e se assim não ocorreu com a homossexualidade, isto é uma evidência de que a retirada da homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) não se baseou em dados científicos comprovados, mas em um conjunto de fatores que incluiu opiniões, posicionamentos ideológicos, políticos, dentre outros interesses. E como já dito, a ratificação da decisão se deu por votação.
A tal votação se deu em 9 de abril de 1974, e que, aliás, pode ser chamada de qualquer coisa, menos de unânime ou de “evidência científica”. Do total de membros da Associação Psiquiátrica Americana (APA) aptos a votar, apenas 58% deles votou. E o resultado da votação foi o que se segue:
-55% dos membros da APA votaram a favor da remoção da homossexualidade como transtorno mental do DSM. -45% votaram a favor da manutenção do status de transtorno psiquiátrico para a homossexualidade no DSM.
Em se levando em consideração o total de 100% dos membros da APA aptos ao voto, destes somente 32.7% votou a favor da remoção da homossexualidade como transtorno mental do DSM. Ou seja, menos de um terço do total dos membros da Associação Psiquiátrica Americana. E com uma margem de vantagem bastante modesta.
A RETIRADA DO TERMO “DOENÇA” DA CID 10
O Dr. Robert Sptizer foi o psiquiatra que desencadeou a retirada do termo doença atrelado ao homossexualismo da CID-10. Mas, ao revisar os seus posicionamentos, para desespero do movimento gay mundial, ele reconheceu a possibilidade de mudança.
Assim, o Dr. Robert Spitzer estudou 200 casos de pessoas que afirmam ter deixado tanto o comportamento quanto a atração sexual por pessoas do mesmo sexo, e declarou: “Da mesma forma que muitos psiquiatras, eu pensava que alguém pudesse resistir ao comportamento homossexual, mas que ninguém pudesse realmente mudar a orientação sexual. Agora, acredito que isso é falso: algumas pessoas podem mudar e realmente mudam” (SPITZER, 2003, p. 403-417). O Dr. Robert Spitzer declara, ainda, que pessoas suficientemente motivadas conseguem deixar o estilo de vida gay. A pesquisa foi apresentada na Associação de Psiquiatria Americana e publicada logo em seguida.  A psicologia no Brasil nega esta fato, finge que ele não existe , ou seja mecanismo de defesa do ego. Freud explica.
“Não existe consenso entre os cientistas a respeito das razões exatas pelas quais um indivíduo desenvolva uma orientação heterossexual, bissexual, gay ou lésbica. Mesmo embora diversas pesquisas tenham examinado as possíveis influências genéticas, hormonais, de desenvolvimento, sociais e culturais sobre a orientação sexual, nenhum achado jamais emergiu a fim de permitir que cientistas concluam que a orientação sexual seja determinada por qualquer fator, ou fatores.” (American Psychological Association. Understanding Sexual Orientation and Gender Identity)
Sendo assim, a asseveração de que “a Ciência atesta que a homossexualidade não é uma doença psiquiátrica” é desprovida de fundamentação científica. E muito mais desprovida ainda de fundamentação é a assertiva de que “a homossexualidade é uma condição natural e normal”, sendo esta última asseveração uma segunda inserção psicológica e sofismática mais do que evidente. A Ciência autêntica não comporta este tipo de malabarismo. -Dr Eduardo Adnet, médico Especialista em Psiquiatria Titulado pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Associação Médica Brasileira.
A ciência não é um fim em si mesmo, mas é antes um precioso e poderoso instrumento através do qual inegáveis progressos têm surgido visando o conforto e o bem estar dos seres humanos. Ciência autêntica implica, obrigatoriamente, em imparcialidade e em respeito ao conhecimento legítimo, não deturpado ou deformado por interesses escusos, sejam eles quais forem e procedam de onde quer que seja.
A Homossexualidade é Genética?
Outra argumentação pseudocientífica é a de que a homossexualidade seria genética. Isto jamais foi comprovado. O pesquisador Simon LeVay, que estudou as diferenças no hipotálamo em cérebros de homens homossexuais e heterossexuais atestou:
“É importante observar o que eu não encontrei. Eu não provei que a homossexualidade seja genética, nem tampouco encontrei uma causa genética para a homossexualidade. Eu não demonstrei que homens homossexuais nasçam assim, o erro mais comum que as pessoas cometem quando interpretam meus trabalhos. Nem tampouco localizei nenhum centro gay no cérebro.” (Homosexual Urban Legends, The Series; Traditional Values Coalition).
A OMS não removeu da sua classificação, mudou apenas a nomenclatura. Hoje é chamada atualmente de desordem:  http://apps.who.int/classifications/icd10/browse/2010/en#/F60-F69.
O F-64, por exemplo, trata das desordens de identidade de gênero (transexualismo, travestismo de duplo papel, desordem da identidade de gênero em crianças, outras desordens de identidade de gênero e as desordens da identidade não especificadas).
O F-66 trata das desordens comportamentais e psicológicas associadas ao desenvolvimento e orientação sexual (desordem na maturidade sexual, orientação sexual egodistônica, desordens no relacionamento sexual, outras desordens no desenvolvimento psicossexual e desordens no desenvolvimento psicossexual não especificadas).
O F-65, trata das desordens de preferência sexual (fetichismo, travestismo fetichista, exibicionismo, voyeurismo, pedofilia, sadomasoquismo, desordens múltiplas de preferência sexual e outras desordens de preferência sexual). Confiram no próprio site da OMS.
Fonte: Gospel+
Nome

Abílio Santana,15,Acidente,1,Adalpha,2,Adão Santos,2,Adeildo Costa,4,Adhemar de Campos,1,ADSA,2,Advec,1,Advogado Fiel,1,Agenor Duque,16,Alexandre Hebraim,1,Aline Barros,17,Allysson Leite,1,Álvaro Tito,1,Amanda Ferrari,5,Ana Paula Valadão,1,Anderson Bravo,2,Anderson Freire,3,André Valadão,6,Antonella,1,Ao Cubo,1,Apocalipse,14,Aristeu Morais,1,Arte além do Sol,1,Assembleia de Deus,15,Baby do Brasil,1,Bancada Evangélica,2,Batista da Lagoinha,1,Batista Soul,1,Beatriz,4,Bianca Toledo,6,Bispa Francileia,1,Bispo Alfredo Paulo,4,Bruna Karla,20,Cacau Santos,3,Caio Fábio,2,Camila Barros,6,Camurça de Oliveira,1,Carnaval,1,Casa da Brum,1,Casamento,5,Casamento Gay,2,Cassiane,7,Cauê Moura,1,Cayc Lemos,1,CD Completo,6,Censura,1,Cidade Missionária,2,CIEADEP,5,Colunistas,2,Conceição Cabral,1,COnexão Cristão,1,Congresso Gideões,7,Conselheiro cristão,1,Conversa com Bial,1,Creuza de Oliveira,1,Cristina Mel,3,Damares,91,Damares Alves,2,Daniel e Samuel,2,Daniela Araújo,12,Danielle Favatto,1,Davi Sacer,5,Dayane Boy,2,Delino Marçal,1,Destaque,332,Diamante,25,Dinho Oliveira,1,Dj PV,1,Duca Tambasco,2,E.M.A,1,Economia,1,Edilson Turato,1,Edir Macedo,4,Edson Feitosa,5,Eduardo Lopes,1,Eduardo Reis,5,Elaine de Jesus,1,Elaine Martins,2,Eli Soares,3,Elizete Malafaia,1,Elson de Assis,1,Elvis Breves,1,Entevista,1,Entrevista,2,Escola do Reino,5,Estado Islâmico,2,Esteves Jacinto,1,Ex-Menudo,1,Eyshila,5,Fábio Sabino,2,Família,1,Felipão,3,Felipe Heiderich,4,Fernanda Brum,10,Fernandinho,2,Filmes Gospel,1,Flordelis,1,Fogueira Santa de Israel,2,Franklin Medrado,2,Gabriela Rocha,6,Galdino Junior,1,Geldi Batista,1,Genival Bento,1,Gideões 2017,5,Gisele Nascimento,2,Goleiro Bruno,1,Gospel,1,Guerra da Coreia do Norte,3,Gunnar Vingren,2,Helena Raquel,3,Helena Tanure,1,Humor Gospel,1,Ideologia de Gênero,1,Igreja,2,Igreja Católica,1,Igreja Mundial do Poder de Deus,4,Igreja Quadrangular,1,Igreja Renascer,2,Igreja Universal,9,Irmão Lazaro,4,Irmão Lázaro,1,Isa Reis,14,Isadora Pompeu,1,iurd,4,Jabes Alencar,3,Jackson Antônio,4,Jairo Bonfim,1,Jean Carllos,1,Jô Soares,1,João Alexandre,1,Jonas Vilar,1,Jorge Linhares,1,Josivan Portela,1,Josué Gonçalves,1,Jotta A,14,Junior Luz,1,Junior Souza,1,Junior Trovão,1,Justin Bieber,1,Kainon,1,Kleber e Wanderley,1,Kleber Lucas,23,Lanna Holder,3,Lauriete,1,Leandra Nacimento,1,Leandra Nascimento,2,Leandro dos Anjos,1,Léo e Daniel,1,Leonardo Gonçalves,5,Letra,48,Lucas Dias,1,Lucinho Barreto,4,Magno Malta,5,Marcelo Aguiar,1,Marcio Valadão,1,Marco Aurélio,1,Marcos Antônio,3,Marcos Pereira,1,Maria Simões,1,Marisa Lobo,2,Marquinhos Gomes,5,Marquinhos Menezes,3,Matinhos,1,Mattos Nascimento,2,Michael Pires,1,Michel Temer,10,Militantes,2,Misael Santana,1,Missões,1,Moisés Clayton,1,Música Gospel,184,Natal,1,Nielsen Gonçalves,4,Nívea Soares,1,Novo Som,1,Obra Prima,28,Oficina G3,2,Oton Rodrigues,1,Padre,2,Padre Fábio de Melo,1,Pânico na Band,1,Papa,1,Pascoa,2,Pastor,86,Pastor Cesino Bernadino,1,Pastor Claudio Duarte,18,Pastor Eurico,4,Pastor Everaldo,1,Pastor Josué Gomes,4,Pastor Lucas,1,Pastor Marco Feliciano,7,Pastor Salatiel Fidélis,5,Patrícia Lélis,2,Patrick Moura,1,Paulo Cesar Baruck,1,Paulo Junior,3,Paulo Marcelo,7,Paulo Santos,1,Paxtorzão,5,Perlla,6,Plenitude do Trono de Deus,8,Polêmica,107,Política,12,Preto no Branco,3,Priscila Alcântara,20,Programa Raul Gil,3,Projeto Vida,1,PSC,1,Rafael Bello,1,Regis Danese,7,René Terra Nova,4,Reuel Bernadino,1,Ronald Fonseca,1,Rosania Rocha,3,Rose Nascimento,1,RR Soares,1,Samuel Ferreira,4,Samuel Mariano,20,Samusic Produções,10,Sarah Farias,3,Semana Santa,3,Shirley Carvalhaes,8,silas,1,Silas Malafaia,62,Solange Almeida,1,Som e Louvor,3,Sony Music,6,Sóstenes Cavalcante,2,Takayama,1,Templo da Graça,1,Thalles Roberto,16,The Noite,1,Thiago Flores,1,Tiago Brunet,1,Ton Carfi,2,Toque no Altar,1,Trazendo a Arca,2,TV,2,Valdemiro Santiago,10,Vanilda Bordieri,3,Verônica Sacer,2,Vídeo,110,Vini Rodrigues,6,W.Music,4,Wescley Costa,2,Wesley Mendes,1,Wesley Ros,11,Xuxa,1,Zé Pequeno,1,
ltr
item
O Fuxico Gospel - Noticias gospel, música gospel, tudo sobre polêmicas gospel e muito mais: Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados
Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados
http://noticias.gospelmais.com.br/files/2012/06/Camara-dos-Deputados-200x138.jpg
O Fuxico Gospel - Noticias gospel, música gospel, tudo sobre polêmicas gospel e muito mais
http://www.sitefuxicogospel.com/2012/06/pastor-marco-feliciano-e-psicologa.html
http://www.sitefuxicogospel.com/
http://www.sitefuxicogospel.com/
http://www.sitefuxicogospel.com/2012/06/pastor-marco-feliciano-e-psicologa.html
true
4155242836553768318
UTF-8
Carregando Todas as Mensagens Não encontrou nenhuma mensagem VER TUDO Leia mais Resposta Cancelar resposta Delete De Home PÁGINAS POSTS Ver tudo RECOMENDADO PARA VOCÊ As Últimas ARQUIVO PESQUISA TODAS AS PUBLICAÇÕES Não foram encontrados resultados com a sua BUSCA VOLTE PARA O INÍCIO Domingo Segunda Terça feira Quarta feira Quinta feira Sexta feira Sabado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez just now 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ Semanas atrás mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Compartilhe para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy